Physical Address

304 North Cardinal St.
Dorchester Center, MA 02124

Susep anuncia o Sistema de Consulta de Seguros

A ferramenta é capaz de consultar 800 milhões de apólices

Por Tany Souza

Em coletiva de imprensa, na tarde de hoje (07) a autarquia apresentou à imprensa o Sistema de Consulta de Seguros, que estará no ar a partir do dia 13 próximo, e que estará amplamente disponível para o segurado. Essa plataforma permite consultar exatamente os seguros contratados de um determinado CPF.

De acordo com o Superintendente, Alessandro Octaviani, essa consulta traz benefícios tanto para o segurado, como para a seguradora e também para a própria Susep, como órgão regulador. “Para o segurado, é a própria possibilidade de gerenciar seus dados, tendo consciência de todos os seguros contratados, inclusive daqueles adquiridos de forma automatizada. Já o consumidor pode descobrir, por exemplo, que o suposto seguro contratado, não era autorizado pela Susep, pois não constará na consulta. Quanto às seguradoras, essa ferramenta trará mais segurança e clareza para a sociedade, aumentado a confiança da sociedade em relação ao seguro e, com isso, possibilitando mais vendas de produtos. E, claro, a própria Susep será beneficiada, pois o segurado verificará seus dados e nos avisará de alguma maneira, ou seja, ganhamos uma fiscalização em tempo real”.

Hugo Saisse Mentzingen da Silva, Coordenador do Projeto SRO, explicou que à princípio, 800 milhões de apólices poderão ser consultadas. “O escopo da consulta são as apólices vigentes e a situação atual do contrato. Estamos entregando algo grandioso para o mercado segurador brasileiro, possibilitando que todas essas apólices sejam checadas. É um grande salto na aferição da qualidade e transparência do setor”.

O coordenador também esclareceu que somente alguns ramos do seguro estarão no sistema, mas a Susep já está em processo de ampliações. “A ferramenta dispõe de dados do seguro de automóveis, habitacional e patrimonial, de responsabilidades, rural, riscos financeiros, tanto para seguros aceitos no Brasil como no exterior por seguradoras brasileiras. Mas ainda não disponibilizará dados de previdência privada aberta, títulos de capitalização, seguro de vida, seguro viagem, prestamista e de acidentes pessoais, e de empresas participantes do sandbox regulatório, nesse caso, a lista dessas companhias aparecerá em um link. Todos esses estão em implementação para um futuro próximo”.

Segundo ele, é preciso deixar claro também que o sistema tem um tempo de atualização dos dados. “Eles aparecerão depois de quatro dias úteis da contratação do seguro, com o nome da companhia de seguros, a data do início e fim da vigência da apólice, e a cobertura principal. Depois de um clique, estará a descrição completa das coberturas, assim como foram descritas pelas seguradoras”.

Tecnologia e segurança de dados

E esse é somente o começo, porque além de todo o backoffice que consiste em monitoramento técnico constante, há a adaptação do mercado como um todo. “Todo o programa que envolve big data, precisa ter canal adequado de fluxo de melhorias identificadas. Agora é colocar esse monitoramento técnico para fazer o programa continuar aprimorando sua estrutura tecnológica. Futuramente, haverá a inclusão de outros ramos, com muita tranquilidade, ampliando com muita segurança para trazer acesso ao seguro para a sociedade”, comentou Hugo Saisse.

Sobre a segurança de dados, o Superintendente enfatizou que desde o começo da estruturação do programa, a premissa e o objetivo sempre foi ter o melhor tratamento sobre a segurança e soberania dos dados. “Tudo isso faz parte de um grande programa de proteção de dados. A Susep está atenta a toda disciplina jurídica desses dados, tanto no que diz respeito à LGPD como às novas regras que estão em construção”.

E o coordenador Hugo Saisse reiterou sobre a segurança e explicou qual é a fonte desses dados. “A ferramenta utiliza dados colhidos pela seguradora, que cumpre a regulação ao repassar para a entidade reguladora, informações que não podem ser usadas para nenhum outro fim a não ser para trazer informações para a reguladora. Além disso, o sistema utiliza da mesma tecnologia de autenticação do serviço do Gov.br”.

Ele esclareceu também que a iniciativa Open Insurance permite a criação de novas operações. “Porque o Open Insurance é uma preparação da ampliação dos sistemas, o que nos traz um grande desafio que é de proteger e criar condições de segurança do sistema como um todo. O escopo do programa do SRO é ainda maior e gerará muitas funcionalidades além dessas. É uma infraestrutura que eleva a experiência do segurado”.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *